terça-feira, 25 de setembro de 2012

Método Pilates

Joseph Humbertus Pilates nasceu na Alemanha em 1880. Era uma criança doente que sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Sua determinação em se tornar fisicamente mais forte o levou a estudar várias formas diferentes de movimentos durante toda sua vida.

Desde cedo ele decidiu contrariar a sua forma debilitada, buscando nas atividades físicas uma solução para vencer seus problemas. Ele utilizou yoga, mergulho, boxe, natação, esqui e conhecimentos de Fisiologia, Anatomia e Medicina Oriental. Até os movimentos animais não fugiram das suas observações. Em 1912, ele se mudou para a Inglaterra, dois anos antes da Primeira Guerra Mundial.

Joseph Pilates ganhava a vida na Inglaterra como lutador de boxe, e foi considerado um inimigo estrangeiro, sendo preso em um campo de concentração. Pilates tornou-se, então, enfermeiro e treinou os outros estrangeiros com os exercícios de cultura física que havia criado (4). Iniciou o uso das molas nas camas de hospital, desenvolvendo um sistema que inspirou a criação de seus equipamentos e de seu método.

Fonte: Internet
Sua técnica foi reconhecida quando nenhum dos internos daquele campo sucumbiu a uma epidemia de gripe (influenza) que vitimou outras pessoas de outros campos. Sem serem repetitivos ou extenuantes, os exercícios que ele propunha se adequavam às necessidades de cada um.

Após a guerra, Joseph retornou para a Alemanha, aperfeiçoando seu método com a Força Policial de Hamburgo. Mas, posteriormente, acabou se estabelecendo nos Estados Unidos, na cidade de Nova Iorque, abrindo um estúdio no mesmo edifício de New York City Ballet.

O seu método começou a ser praticado por importantes bailarinos que apresentavam lesões, sendo recuperados por Joseph Pilates. Logo, a técnica ganhou adeptos e se espalhou por todo o mundo.

Pilates denominava seu método de Contrologia ou Arte do Controle, que é a capacidade que o ser humano tem de se mover com conhecimento e domínio do próprio físico, apresentando uma completa coordenação do corpo, mente e espírito, utilizando princípios específicos para promover a integração entre eles, que são a concentração, centro de força (power house), fluidez, precisão, respiração e controle dos movimentos.

Independentemente da atividade, alguns elementos semelhantes sempre estão em jogo - estabilidade/mobilidade, resistência/oposição, força de alavanca, articulação, balanceamento.

Os exercícios do método Pilates são, na sua maioria, executados na posição deitada, havendo diminuição dos impactos nas articulações de sustentação do corpo na posição ortostática e, principalmente, na coluna vertebral, permitindo recuperação das estruturas musculares, articulares e ligamentares particularmente da região sacrolombar.

Contrologia introduziu a ideia de tratar a causa da doença e tentar evitar o problema por meio de atividades que geram bem-estar.

Dos 34 movimentos do método original resultaram cerca de 500 variações, realizadas com ou sem auxílio de aparelhos. Conforme Williams et al. e Kuhnert, a frequência ideal para praticar Pilates deve ser três vezes por semana, em aulas de uma hora cada.

A técnica de Pilates consiste em dois tipos de aula: no solo (também denominado The Mat) e no aparelho. O trabalho tanto no solo quanto nos aparelhos (Cadeira, Reformer, Wall, Trapézio) consiste em exercícios para estabilizar pelve, controlar abdome, mobilizar articulações, fortalecer e alongar membros superiores e inferiores.

Baseando-se em princípios da cultura oriental, sobretudo relacionados às noções de concentração, equilíbrio, percepção, controle corporal e flexibilidade, e da cultura ocidental, destacando a ênfase relativa à força e ao tônus muscular, o Pilates provoca a tentativa do controle mais conscientemente possível dos músculos envolvidos nos movimentos.

Por meio das técnicas orientais que visam ao relaxamento, respiração, concentração, controle e flexibilidade, somadas à técnica ocidental, objetivando a ênfase no movimento com força, surgiu então a essência dos princípios do método Pilates.

O interesse é que a atividade possa ser desenvolvida atendendo às necessidades específicas de cada praticante. Os exercícios são adaptados conforme as condições físicas do praticante, não havendo contraindicações. Há aqueles que podem ser evitados, e outros que se encaixam nas necessidades físicas do praticante.

A proposta de Joseph Pilates proporciona um amplo benefício para o corpo humano, estimulando a circulação, melhorando a flexibilidade, a amplitude de movimento, ou seja, a postura e o condicionamento do corpo (físico e mental) em geral.

Certamente, qualquer método mais abrangente e diversificado como o Pilates terá muitos princípios fundamentais. No caso do Método Pilates, são seis princípios-chave: centralização, concentração, controle, precisão, respiração e fluxo.

Os exercícios que compõem o método envolvem contrações isotônicas (concêntricas e excêntricas) e, principalmente, isométricas, com ênfase no que Joseph denominou power house (ou centro de força). Este centro de força é composto pelos músculos abdominais, transversoabdominal, multífido e músculos do assoalho pélvico, que são responsáveis pela estabilização estática e dinâmica do corpo. Então, durante os exercícios, a expiração é associada à contração dessas musculaturas e do diafragma.

No entanto, o método concentra-se no Centro de Força para fortalecer os músculos que foram utilizados incorretamente, ou que não foram usados.

A estabilidade do CORE é essencial para o equilíbrio de carga apropriado dentro da coluna vertebral, pélvis. O chamado núcleo assim como o grupo de músculos do tronco que envolvem a coluna vertebral e as vísceras abdominais. Abdominais, glúteos, cintura pélvica, paravertebrais e outros músculos trabalham em conjunto para proporcionar estabilidade espinhal.

O termo "núcleo" é bastante abrangente e, por isso, comum entre praticantes e professores de atividades físicas. Outro nome para ele é "centro de força", usado por instrutores de Pilates para descrever os músculos coletivos do abdome, glúteos e músculos posteriores inferiores. Ao se exercitar, muitas pessoas não dão a devida atenção ao início de cada movimento. O resultado disso é que acabam se movimentando incorretamente e provocando danos.

Outro termo é a caixa definida por duas linhas horizontais: uma na altura dos ombros e outra em uma articulação do quadril até o outro. Com efeito, a caixa incorpora todo o tronco e pélvis. No conceito de centralização inclui-se o resto do tronco e, quando isso é feito, a caixa se torna um amplo centro do corpo humano.

Os programas de fitness incorporaram todas essas ideias; yoga, Pilates, Fit Ball, Roller e exercício funcional são exemplos práticos de atividades nas quais o CORE é acionado por meio de movimentos específicos para o complexo quadril-pélvico-lombar. O CORE é uma unidade integrada composta de 29 pares de músculos que suportam o complexo quadril-pélvico-lombar.

Dessa forma, percebe-se a importância dos resultados de estabilidade de ativação muscular altamente coordenada - envolvendo muitos músculos - e que os padrões de recrutamento devem mudar continuamente, dependendo da tarefa. Isso tem implicações sobre a prevenção da instabilidade e intervenções clínicas, fazendo com que os pacientes sejam aptos a sustentar situações de instabilidade.


Fonte: http://www.scielo.br

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Pilates como tratamento para Síndrome do Túnel do Carpo

Fonte: Internet

Também conhecida como síndrome do túnel cárpico e síndrome do túnel carpal, a Síndrome do Túnel do Carpo é uma neuropatia caracterizada pela compressão do nervo mediano que passa pelo túnel do carpo na região do antebraço, mão e dedos. A Síndrome do Túnel do Carpo é extremamente comum, ocorrendo em aproximadamente 1% da população geral e é muito mais comum em mulheres  na faixa de 35 a 60 anos.

O túnel do carpo é um canal do punho com aproximadamente 3cm de largura e dá continuidade proximal com a fáscia antebraquial, tecido fibroso onde se fixam alguns músculos. Possui pequenos ossos em seu assoalho - região dorsal - e paredes laterais, além de um ligamento transverso forte e inelástico na parte superior - região ventral. Além do nervo mediano, passam por esse canal nove tendões responsáveis pela flexão dos dedos. Esse nervo mediano vem do antebraço e passa pelo túnel do carpo para então chegar à mão e enervar o polegar, as duas faces do indicador e do dedo médio e a face interna do quarto dedo. Já o quarto e o quinto dedo são inervados pelo nervo ulnar. 

Como suas características anatômicas o faz um canal rígido, qualquer aumento de pressão na região interna do mesmo resulta em uma compressão do nervo mediano, gerando a síndrome. As situações que provocam aumento do tecido sinovial dos tendões, sejam elas traumáticas (incluso traumas cumulativos relacionados à esforços repetitivos), inflamatórias, tumorais ou medicamentosas, também elevam a pressão do canal, comprimindo o nervo e o aparecimento de diversos sintomas. 

Os sintomas normalmente aparecem no período noturno devido à retenção de líquido comum nesse período. Incluem alterações na sensibilidade, dormência, formigamento, choques e ardência nos dedos, principalmente no polegar, dedo médio, indicador e na face interna do dedo anular; e dificuldade de agarrar ou cerrar o punho, ou largar objetos. Afeta as duas mãos em 60% dos casos. A dor pode ocorrer no início da síndrome devido à compressão abrupta do nervo mediano. Eventualmente, os sintomas se estendem a todo o o membro superior - mão, braço e antebraço. Assim, é possível que as atividades da vida diária (AVD) sejam comprometidas. 

Fonte: Internet
A compressão do túnel do túnel do carpo pode ser resultante de vários fatores, tais como: deslocamento anterior do osso semilunar, intumescência secundária a fratura de Colles (fratura de extremidade distal do rádio), sinovites secundárias a artrite reumatóide ou devidas a qualquer outra causa capaz de provocar edema devido a traumas que acometam o punho, como entorses, e uma grande variedade de doenças sistêmicas, como o mixedema e a doença de Paget. 
Outro fator que pode causar a síndrome são os movimentos manuais repetitivos que podem causar lesões por esforços (LER), geralmente relacionado ao trabalho ou AVD´s, fundamentalmente, os movimentos de flexo-extensão do punho que acabam por gerar atrito dos tendões. Embora não exista uma causa comprovada, as alterações hormonais - como por exemplo alterações na tireóide, período da menopausa e gravidez - também podem interferir na pressão interna do túnel formado pelos ossos e o ligamento da mão. Acredita-se que no tecido sinovial existam receptores para o hormônio estrógeno. Nível normal desse hormônio impede que o esse tecido prolifere. No entanto, à medida que a produção do hormônio vai caindo, os receptores ficam livres, o tecido sinovial começa a crescer e, conseqüentemente, a aumentar a pressão dentro do túnel do carpo. Nas gestantes, o edema característico também pode contribuir com os sintomas, porém, após o parto há grande probabilidade de desaparecerem os sintomas.

Outras doenças associadas a essa síndrome são diabetes mellitus, artrite reumatóide, doenças da tireóide e de causas desconhecidas. É importante dizer que não é só a alteração do hormônio sexual feminino que produz a compressão no nervo mediano. Alterações dos hormônios da tireóide e de doenças como diabetes também produzem uma neuropatia compressiva.

Para dar início ao tratamento, é sempre importante identificar o grau em que se encontra a síndrome: leve, moderado e grave. Se for leve, é indicada a imobilização por aproximadamente 1 mês, através de tala ou órtese, deixando o punho em posição de extensão para minimizar a pressão nos nervos; além de associar um anti inflamatório via oral. Caso seja ineficaz, o médico pode indicar a aplicação de cortisona no canal a fim de amenizar a reação de proliferação do tecido sinovial que comprime o nervo. Porém, não está isenta de complicações e por isso é preciso de muito critério. Se o tratamento clínico não resolver, é possível o médico indicar a cirurgia, a qual anulará os sintomas. A recidiva só ocorre quando a proliferação sinovial é originada de outra doença anterior que continua sem tratamento adequado.

O tratamento fisioterapêutico é muito importante e tem como princípio diminuir o edema gerado pela inflamação que por consequência aumenta a pressão do canal. Para tal, costuma-se utilizar o ultra-som terapêutico associado com alongamentos específicos para a região acometida. Após esse estágio, o PILATES se apresenta de forma fundamental e eficiente para a orientação e informação às atividade de vida diária e laborais, prevenção de recidiva, manutenção do quadro, combater o estresse e sedentarismo,condicionamento físico, amenizar outras dores existentes, estabilizar outros problemas, além de promover a saúde e bem estar físico e mental. Em todas as aulas de Pilates, exercícios diferentes e simples também são ensinados e recomendados para a prática em casa. 

Fonte: Internet

A maioria dos alunos se recuperam totalmente e podem evitar novos danos ao mudar a forma com que realizam os movimentos repetitivos. Mas, antes de iniciar qualquer tratamento, procure um médico especialista.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_do_t%C3%BAnel_carpal

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Sedentarismo pode causar dor nas costas

O corpo humano não foi feito para ficar parado em uma mesma posição por muito tempo. Mesmo com a postura correta, a falta de movimentação faz com que os músculos entrem em fadiga e doam. Esse problema tem efeitos ainda piores em situações de postura incorreta e os dois casos podem provocar dor nas costas. Sentir dor nas costas é um problema que atinge uma parcela muito grande da população. Além da falta de movimentação, a postura errada e os músculos enfraquecidos também são fatores que contribuem para esse incômodo. Por isso, a prevenção é simples: corrigir a postura, fortalecer os músculos e se movimentar alternando a posição.

Fonte: Internet
As dores musculares mais comuns são provocadas por fatores mecânicos, como o esforço excessivo e o erro postural. Essas dores costumam durar até 8 semanas e ter começo, meio e fim.
Se a dor continuar por mais de 8 semanas, é preciso procurar um médico para investigar se há algum outro problema. Dores que duram mais de três meses são consideradas crônicas e podem ser causadas por alterações degenerativas da coluna, como osteoartrose e hérnia de disco.
Outra causa de dor é a deformidade em alguma das três curvaturas da coluna: a lordose cervical, a cifose torácica e a lordose lombar. Quando a cifose é acentuada, pode causar um problema chamado hipercifose, comum em pessoas tímidas, altas e que usam muito o computador. Normalmente, essas pessoas jogam os ombros e a cabeça para a frente e têm dores no pescoço e ombros. Como figura abaixo:



Fonte: Internet


Já a escoliose, doença que altera a posição da coluna, está ligada a um fator genético e tem vários graus. Em casos mais leves, o uso do colete é indicado. Nos mais graves, é indicada a cirurgia. Porém, tem as alterações de posturas que também levam a coluna a ficar em formato de S, chamada de "escoliose postural". Esta deformidade é momentânea e pode ser corrigida apenas com realinhamento postural.

Fonte: Internet
A região lombar é a que mais aguenta carga do corpo, portanto, a que mais sofre. Quando a curvatura dessa região e da cervical é acentuada, o problema se chama hiperlordose. O uso do salto alto, por exemplo, faz essa curvatura se acentuar. Outro problema é o escorregamento da vértebra, muito comum nos adolescentes. Um fator que pode causar dores na lombar é ficar muito tempo sentado. A pessoa que fica sentada pressiona os discos invertebrais do que a pessoa que fica em pé, por exemplo. A pressão aumenta ainda mais quando a postura é incorreta.

Fonte: Internet
Para combater o incômodo, na maioria dos casos o tratamento é feito com exercícios físicos. O Pilates é um dos exercícios apropriados para combater dores na coluna. A prática corrige a postura, realinhando a coluna e fortalecendo a musculatura abdominal e das costas.

A atividade possui técnicas apropriadas que auxiliam no alívio das dores, através de um eficaz fortalecimento de musculaturas profundas e certeiras na reeducação postural, como os multífidos, que atuam como estabilizadores da coluna. Ou seja, são esses músculos que - quando saudáveis - mantêm a coluna posicionada no seu lugar, sem desvios. Os músculos paravertebrais também são trabalhados no Pilates, auxiliando na manutenção da coluna ereta. Já o músculo quadrado lombar auxilia na extensão de tronco (quando inclinamos o tronco para trás) e também na rotação de tronco (movimento feito quando estamos no banco da frente do carro e pegamos a bolsa no banco de trás). Por último, o Pilates trabalha o trapézio, músculo responsável pelos movimentos de ombro, cabeça e diafragma - músculo da respiração.

O Pilates pode ser praticado por qualquer pessoa de qualquer faixa etária. Mas antes de iniciar os exercícios, principalmente para quem já apresenta dor na coluna, é fundamental uma avaliação física de um profissional qualificado.

FAÇA PILATES COM CONCENTRAÇÃO E FOCO

Para a realização dos exercícios, procure usar roupas confortáveis e realizar as atividades em cima de uma toalha, tapete ou colchonete. o Pilates deve ser realizado com foco e concentração, pois somente assim é possível ganhar a consciência de cada músculo que está sendo trabalhado no corpo. Consciência esta que facilita na hora do fortalecimento, trazendo resultados mais rápidos.

Ao incorporar o hábito de realizar estes exercícios no seu dia-a-dia, perceberá que este cuidado não fará somente bem para seu corpo, mas também para sua mente, que ficará mais serena.
Fonte: Internet



Fonte: g1.globo.com
       





segunda-feira, 10 de setembro de 2012

PILATES REEDUCA MOVIMENTO CORPORAL


O Pilates está ganhando cada vez mais praticantes a cada dia. Muitas pessoas começam a manter uma boa forma e a exibir uma excelente postura com a prática. A procura por esse modo inovador de alongamento atrai por unir o corpo e a mente.

Criado em 1920 pelo alemão Joseph Pilates, influenciado por Yoga, Tai Chi-Chuan, Zen Budismo, Artes Marciais e também de exercícios praticados pelos antigos gregos e romanos, o Pilates partiu do princípio de “mente sã e corpo são”. Joseph inventou uma atividade física, que é baseada em seis princípios básicos: respiração, concentração, controle, alinhamento, centralização e integração de movimentos.

De maneira bem executada e orientada, a atividade não traz impactos nocivos para as articulações, ligamentos e musculatura. A qualidade de vida, a consciência corporal, respeito e integração plena do corpo-mente são o foco desse método.

O Pilates é uma técnica de reeducação do movimento do corpo, capaz de restaurar e aumentar a flexibilidade e força muscular. 

“É possível se perceber uma melhora da respiração e também um reajustamento da postura,
 o que acaba ajudando a prevenir lesões”.

Fonte: Internet

Fonte: Tao Pilates Instituto de Medicina do Esporte

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Terapia Ayurveda



Ayurveda é o nome dado à "ciência" médica desenvolvida na Índia há cerca de 5 mil anos, o que faz dela um dos mais antigos sistemas medicinais da humanidade. A Terapia Ayurveda tem como objetivo promover a saúde em seu sentido mais completo por meio do retorno do ser à natureza.

Fonte: Internet
Para falar sobre a história da medicina ayurvédica, é preciso considerar sua subjetividade na origem divina, nos planos espirituais, apesar de existirem resquícios históricos que datam de 9000 anos atrás e que relatam que na região do rio Saraswati, existiu uma civilização altamente desenvolvida e evoluída espiritualmente onde a Ayurveda já era praticada.

Referente especificamente da Medicina Ayurveda, existem dois textos que datam de 2000 a.C chamados de Rig Veda e Atharva Veda. São os primeiros documentos históricos relativos a essa ciência, onde os mesmos compõe os Vedas, livros de sabedoria que integram a cultura indiana.

A ciência original propagou-se pelo Oriente e Ocidente através do budismo, sendo ainda hoje praticada na Índia mantendo sua essência original, inclusive no tratamento e preparo de remédios.

A ciência védica percebe as atividades biológicas, mentais e espirituais como sendo interligadas e interdependentes, tendo como foco de atenção a saúde e a prevenção de doenças. Acredita-se que o estado de saúde é uma condição normal do ser.

A doença para a Ayurveda, é muito mais que a manifestação de sintomas desagradáveis ou perigosos à manutenção da vida. A ciência integral considera que a doença inicia-se muito antes de chegar à fase em que ela finalmente pode ser percebida. Assim, pequenos desequilíbrios tendem a aumentar com o passar do tempo se não forem corrigidos, originando a enfermidade muito antes de podermos percebê-la.

A idéia de saúde não se limita a um corpo livre de doenças, mas a um conjunto harmônico entre a matéria, mente e espírito.

Na visão da Ayurveda, o Cosmo é a interação dos cinco elementos. São eles: éter, ar, fogo, água e terra, que atuam sobre os três príncipios básicos energéticos, os quais estão presentes em toda a natureza. Estes são denominados Doshas ou DNA energético. Vata surge do ar e do som (éter); Pitta surge do fogo e da água e Kapha surge da água e da terra.

O corpo humano é uma combinação biológica dos cinco elementos, o que nos torna diferentes é a proporção de cada elemento em nossa constituição. Possuimos um código energético original que sofre alterações no decorrer de nossas vidas, através de influências emocionais, alimentares, temporais, enfim, os doshas variam conforme nosso estilo de vida e escolhas.

Dentro do contexto da ayurveda dosha significa "organização", assim quando os doshas estão equilibrados eles mantêm uma psico-fisiologia harmoniosa. Manter os doshas equilibrados é manter o nosso código original e assim, a saúde.

Para os doshas se manterem em equilíbrio é preciso antes de mais nada, que respeitemos nossa natureza interior, que nos conheçamos no íntimo para que possamos respeitar nossas limitações, e para que "dancemos conforme a música divina, mas dentro de nosso ritmo".

Para definir o dosha original e também detectar qual o dosha que se encontra em desarmonia a Terapia Ayurveda trabalha através de um diagnóstico pessoal, onde através de algumas questões e exames visuais, do pulso, inclusive da língua, é possível indicar alguns procedimentos terapêuticos, além de sugestões para mudanças de hábitos e uma dieta alimentar específica para diminuir o nível de toxinas no corpo.

São inúmeros os procedimentos utilizados na Ayurveda, onde todos possuem o objetivo de reestruturação da saúde, podendo direcioná-los conforme a necessidade de equilíbrio. Alguns deles:

- massagem abhyanga (oleação através de manobras longas)
- shirodara (fluxo de óleo na região do terceiro olho)
- bastis (oleação em maior volume contido numa determinada região do corpo)
- gárshana (manobras de fricção feita com luvas e aplicação de pouco óleo, cânfora, sal grosso e ervas terapêuticas)
- udwartana (manobras de fricção com pouco óleo e pó de ervas medicinais)

Praticantes argumentam que o tratamento ayurvédico é benéfico para todos, especialmente para aqueles que sofrem de estresse ou tensão muscular. Entre inúmeras outras doenças que respondem particularmente bem a medicina ayurvédica são a artrite, asma, diabetes, eczema, indigestão, tuberculose e úlceras.

O auto-conhecimento é um caminho para aprofundarmos em nossa essência e despertarmos para as consequências de nossas escolhas.
A percepção de que somos seres em processo de evolução e que necessitamos conservar nosso corpo para que ele seja nosso instrumento de busca de equilíbrio junto à nossa mente consciente faz com que passemos a agir mais a favor da vida, considerando a reeducação de nossos hábitos, tanto alimentares quanto comopensamentos condicionados e padrões de comportamento.


Fonte: graodeareia.net/terapia/terapia-ayurveda.html

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Parto Humanizado

O que é um Parto Humanizado?


Uma importante questão a ser esclarecida é que o termo "Parto humanizado" não pode ser entendido como um "tipo de parto", onde alguns detalhes externos o definem como tal, como o uso da água ou a posição, a intensidade da luz, a presença do acompanhante ou qualquer outra variável. A Humanização do parto é um processo e não um produto que nos é entregue pronto.


Fonte: Internet
Acredito que estamos a caminho de tornar cada vez mais humano este processo, isto é, tornar cada vez mais consciente a importância de um processo que para a humanidade sempre foi instintivo e natural e que por algumas décadas tentamos interfirir mecanicamente, ao hospitalizarmos o nascimento e querer enquadrar e mecanizar em um formato único as mulheres e o evento parto.

O termo “humanização” carrega em si interpretações diversas. A qualidade de “humano” em nossa cultura quase sempre se refere à idéia arraigada na moral cristã de ser bom, dócil, empático, amável e de ajudar o próximo. Nesse contexto, retirar a mulher de seu “sofrimento” e “acelerar” o parto através de medicações e de manobras técnicas ou cirúrgicas e é uma tarefa nobre da medicina obstétrica e assim vem sendo cumprida.

Mas há um porém neste tipo de intervenção. Um olhar mais atento na prática atual da assistência ao parto revela uma enorme contradição entre as intervenções técnicas ou cirúrgicas e as suas conseqüências no processo fisiológico do parto e na saúde física e emocional da mãe e do bebê. Um olhar ainda mais atento nos processos culturais, emocionais, psíquicos e espirituais envolvidos no parto revelam novos e norteadores horizontes, tal qual a importância, para mãe e filho, de vivenciar integralmente a experiência do parto natural.

A qualidade de humano que se quer aqui revelar envolve os processos inerentes ao ser humano, os processos pertinentes ao ciclo vital e a gama de sentimentos e transformações que a acompanham. O processo de nascimento, as passagens para a vida adolescente e adulta, a vivência da gravidez, do parto, da maternidade, da dor, da morte e da separação são experiências que inevitavelmente acompanham a existência humana e por isso devem ser consideradas e respeitadas no desenrolar de um evento natural e completo como é o parto. Muitas e muitas mulheres ao relatarem seus partos via cesariana mostram a frustração de não terem parido naturalmente, com as próprias forças, os seus filhos. Querem e precisam vivenciar o nascimento de seus filhos de forma ativa, participativa, inteira. Viver os processos naturais e humanos por inteiro muitas vezes envolve dor, incômodo, conflito, medo. Mas são estes mesmo os “portais” para a transição, para o crescimento, para o desenvolvimento e amadurecimento humano.

A humanização proposta pela ‘humanização do parto’ entende a gestação e o parto como eventos fisiológicos perfeitos (onde apenas 15 a 20% das gestantes apresentam adoecimento neste período necessitando cuidados especiais), cabendo a obstetrícia apenas acompanhar o processo e não interferir buscando ‘aperfeiçoá-lo’.

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=3B33_hNha_8

Humanizar é acreditar na fisiologia da gestação e do parto.
Humanizar é respeitar esta fisiologia, e apenas acompanhá-la.
Humanizar é perceber, refletir e respeitar os diversos aspectos culturais,
 individuais, psíquicos e emocionais da mulher e de sua família.
Humanizar é devolver o protagonismo do parto à mulher.
É garantir-lhe o direito de conhecimento e escolha.



Fonte: http://www.despertardoparto.com.br/parto-humanizado---o-que-eacute.html

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Estiramento Muscular

Fonte: Internet
Uma distensão ou um estiramento muscular caracteriza-se por um rompimento parcial ou completo de fibras musculares, resultante de um esforço extremo realizado pela musculatura acometida. Junto com a musculatura são rompidos também capilares sanguíneos, resultando numa infiltração de sangue no local da lesão, formando posteriormente um coágulo. Em casos graves, o músculo pode sofrer uma ruptura muscular. As distensões são mais fáceis de serem reconhecidas do que as contraturas musculares, uma vez que a dor causada pela ruptura das fibras é imediata, impossibilitando o movimento.

Diagnóstico

Pode ser reconhecido de imediato, porém para se saber o nível da lesão é necessário ser feito um ultra-som de partes moles, onde os coágulos serão identificados. Outra maneira de descobrir é pelo exame sanguíneo , onde os níveis da enzima CPK indicará se há ou não uma lesão que os outros exames não conseguiram identificar.

Tratamento

Recomenda-se procurar um ortopedista ou médico do esporte imediatamento após a lesão. Porém, como medida emergencial pode ser usado o gelo por cerca de 15 minutos no local, afim de evitar que a lesão tome maiores proporções.

O tratamento será inicialmente com medicamentos para dissolver os coágulos, juntamente com fisioterapia onde será utilizado o ultra-som terapêutico e laser, combinados com alongamentos específicos visando recuperar a lesão machucada. 


Fonte: www.wikipedia.com.br