segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Diferença do Pilates nos aparelhos e Pilates no solo

Fonte: Internet

Com a rápida popularização do Pilates - um método de condicionamento físico criado na Alemanha na década de 20 - têm surgido inúmeras variações dessa atividade física voltada tanto para a reabilitação quanto para o fitness. Engana-se quem pensa que o Pilates Solo - também conhecido como Mat Pilates - é uma atividade “fácil”. Há quem imagine que o Pilates é apenas alongamento com educação postural e respiração…vai muito além disso.

A diferença básica entre o Pilates com aparelhos e o solo, é que nos aparelhos você conta com a ajuda das molas, esse recurso auxilia a realizar certos movimentos. No Pilates Solo, você depende da força do próprio corpo para realizá-los: o centro dos movimentos, no abdome e na coluna lombar, fazendo com que o movimento fique mais difícil de ser executado. Além de fortalecer o corpo inteiro, trabalha-se muito com alongamento e acrescenta-se uma parte lúdica ao exercício, porque geralmente os alunos acham divertido trabalhar com a bola. E, ao mesmo tempo em que se trabalha o fortalecimento e o alongamento, exercita-se o equilíbrio e a coordenação motora. O Pilates feito no solo com acessórios, traz benefícios diversos ao corpo e a saúde em geral. O trabalho é progressivo, intenso, promove força, flexibilidade e equilíbrio. O Pilates Solo atende a diversos públicos, pois cada um trabalha dentro da sua própria limitação, e o avanço é impressionante. Normalmente as pessoas ficam surpresas com os resultados rápidos e com as mudanças no corpo na questão de estética e resposta a estímulos externos. Por isso, várias pessoas mudaram seus conceitos, adotaram o Pilates Solo e mudaram radicalmente a harmonia dos músculos e do bem estar, já que o mesmo não causa nenhum tipo de lesão nem encurtamento muscular.   

Você pode preservar um abdome bem fortalecido para sempre ao praticar o Pilates. Seja nos aparelhos inventados por Joseph Pilates, estruturas de madeira e metal, com molas e tiras de couro, como nos movimentos feitos no chão, técnica conhecida por mat pilates, os músculos são trabalhados duplamente, ou seja, são tonificados e alongados ao mesmo tempo, mas dentro do limite de cada praticante. Os corpos treinados pelo método são fortes, alongados, flexíveis e saudáveis. A postura melhora muito e os movimentos se tornam elegantes. Tanto nos aparelhos como no solo, o Pilates é uma ginástica livre de impacto e que respeita a individualidade. No solo, os exercícios exigem ainda mais do praticante, que tem de controlar sozinho o seu corpo. O trabalho, porém, também pode ser facilitado com o uso de equipamentos como bolas e elásticos.     Por dar ênfase à correção postural e ao bom alinhamento das articulações, o método é indicado também para o tratamento de lesões na coluna, joelhos e ombros, entre outras.

 A base do método é o centro de força, composto principalmente pelos músculos do abdome, região lombar, quadris e glúteos. O centro de força permanece contraído, dando sustentação para a coluna lombar e para movimentação solta das pernas e braços. A prática também mexe com as emoções. Segundo Pilates, que estudou técnicas orientais como a ioga para desenvolver seu método, o centro de força controla não só os movimentos do corpo como as emoções. O praticante fico mais centrado, nos dois sentidos, físico e mental. Outro fator que interfere no bem-estar é o controle da respiração, fundamental para manter a postura durante os exercícios. A respiração adequada também ajuda a combater o stress e a ansiedade, pois acalma a mente e controla a agitação.

 O Mat Pilates se caracteriza por proporcionar maior flexibilidade, força muscular, concentração, com exercícios feitos no solo, melhorando a qualidade de vida geral, e prevenindo lesões da coluna, artroses, dores gerais, sendo praticado por atletas, bailarinos e simpatizantes da técnica que além de todos esses benefícios ainda deixa o corpo delineado, sem exagero de massa muscular.

fonte: www.forcecia.com.br
         www.google.com.br

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Conheça a dor ciática


 O nervo ciático é o principal nervo dos membros inferiores e o mais longo do corpo humano. Sua fama não vem de seu comprimento, e sim da dor causada, a "ciatalgia", que atinge cerca de 15 % de população e pode causar muito desconforto. Como o ciático é responsável pela enervação dos membros inferiores, a dor pode ocorrer em vários lugares, porém os mais comuns são a região glútea e o posterior da coxa.

O que é ciática?

A ciática é dor na perna devido à irritação do nervo ciático. Essa dor geralmente vai da parte posterior da coxa até a parte posterior da panturrilha, e pode se estender até os quadris e pés. Em adição à dor, pode haver entorpecimento e dificuldade de movimentação e controle da perna. Embora a ciática seja uma forma de dor relativamente comum, o verdadeiro significado do termo é muitas vezes mal compreendido. Ciática é a série de sintomas, e não o diagnóstico para o que está irritando o nervo e causando dor.
Fonte: Internet

Causas da ciática

A ciática é geralmente causada pela compressão da raiz do nervo na espinha lombar, e bem menos comum pela compressão do próprio nervo ciático.
Desta forma, a "verdadeira ciática" é causada pela compressão na raiz do nervo por uma hérnia de disco, engrossando e alargando e/ou desalinhando a vértebra. A "pseudo-ciática" é causada pela compressão de seções mais periféricas do nervo, geralmente através de tensão de tecido mole no piriforme ou outro músculo relacionado. Hábitos posturas não-saudáveis, como ficar tempo excessivo sentado em cadeira ou dormir em posição fetal, juntamente com alongamento e exercício físico insuficiente das áreas mio fasciais relevantes, podem ocasionar problemas vertebrais e no tecido mole associados à ciática.

Tratamento

Fonte: Internet
Uma vez que várias condições podem comprimir as raízes do nervo ciático e causar ciática, as opções de tratamento geralmente diferem. Tempo, medicamentos anti inflamatórios, uso em curto prazo de medicamentos narcóticos para dor aguda, injeções lombares e fisioterapia são benéficos.
Embora seja recomendado repouso na cama por um prazo curto durante a fase aguda, é bom realizar alguma atividade. Nesse contexto,"atividade" é definida como permanecer em pé por períodos de tempo que não causem dor muito forte. A prescrição de exercícios poderá incluir alongamento, Pilates, caminhada e exercícios aeróbicos.

Fonte: google.com.br

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pilates e a dor


O reconhecimento médico sobre a eficácia do Pilates no tratamento da dor vem crescendo nos últimos anos devido a um grande número de casos com resultados altamente satisfatórios na recuperação do controle motor, fortalecimento dos músculos da coluna e alívio de dor. Muitas pesquisas vêm sido desenvolvidas tanto aqui no Brasil como nos Estados Unidos onde o Pilates é aplicado antes e após a cirurgia de coluna ou qualquer outra articulação do corpo. 

A Pós Reabilitação com o Pilates acelera no processo de recuperação devido a possibilidade de trabalhar movimentos similares aos do cotidiano sem a ação da gravidade, com a coluna apoiada num ambiente diferente, onde a nova posição possibilita o aprendizado de um movimento novo e correto sem os antigos vícios de compensação a dor. O que isso quer dizer? Que por exemplo, você vai aprender a andar corretamente porém deitado. O nosso corpo tende a repetir os mesmos padrões se tentarmos corrigir o caminhar de pé.
Fonte: Internet
Além de introduzir o movimento novo em posições diferentes para assim “enganar” o corpo e eficientemente poder corrigir, os equipamentos do Pilates são compostos de molas com diferentes tensões, possibilitando o aprendizado numa intensidade extremamente leve, sem agredir a lesão existente. 

O corpo responde melhor sem se cansar e sem usar de forças compensatórias que são agressivas e causam o desalinhamento dos membros.

Outra característica fundamental é a possibilidade de trabalhar e fortalecer os músculos estabilizadores da coluna, cintura escapular (ombros) e quadril. Estes músculos são menores e quando enfraquecidos acabam estressando e provocando lesões e/ou patologias de coluna e de extremidades como ombros, cotovelos, punhos, joelhos e tornozelos. O Pilates faz o que chamamos de fortalecer “de dentro para fora”. Fortalecer o abdome não quer dizer poder fazer 1.000 abdominais, e nem ter um abdome “tanquinho”. O trabalho feito pelo Pilates é mais profundo, você vai fortalecer o transverso abdominal juntamente com o assoalho pélvico (responsáveis por segurar os órgãos) e com o auxílio da respiração é feita a correção Postural. Todo o movimento partirá dessa conexão com o centro do corpo.

Numa terceira fase, onde o corpo passa a realizar os novos movimentos de forma natural, onde inconscientemente o ele está correto e eficiente, os exercícios passam a ser realizados na posição vertical para que sejam transferidos às atividades diária, substituindo os velhos hábitos.


Fonte: google.com.br

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Aproveite mais sua aula de Pilates


10 Dicas para você aproveitar melhor a sua aula de Pilates!

1. O instrutor dará as instruções do que será realizado, enquanto ele explica, vá imaginando a realização do movimento, se concentre nessas instruções, na dúvida pergunte e solicite que explique novamente;

2. Organize seu corpo sempre em uma postura inicial, faça uma respiração para preparar e realize o movimento;

3. Verifique se o equipamento ou acessório a ser utilizado está dimensionado para você, ou seja, se as alças estão com o mesmo comprimento, se a bola é de um tamanho propício;

4. Lembre sempre que os movimentos são sincronizados com a respiração;

5. Realize o movimento de forma precisa e com atenção, sentindo seu corpo;

6. Tencione apenas os músculos necessários pra realizar o movimento e mantenha os demais relaxados. Não se agarre ao colchonete ou outra base de apoio!

7. Fique atento à manutenção do controle do “core” (power house), se perder a tensão, organize – se novamente;

8. Quando sentir algum desconforto, pare o exercício com cuidado, avise o instrutor, não espere todas as repetições acabarem para avisar;

9. Não tenha pressa!

10. Respeite seus limites!


Fonte: Internet

Fonte: google.com.br

domingo, 14 de outubro de 2012

Fonte: Internet


Um pouco atrasada! Mas o que importa é a intenção hahaha!!
Parabéns Fisioterapeutas!!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012



Vídeo informativo sobre postura funcional, educativo, divertido e saudável no ou diante do computador! Veja!

Varizes


As varizes atingem boa parte da população e apesar de ser muito mais comum em mulheres, os homens também podem sofrer com essa patologia. Fatores como a idade podem influenciar diretamente no aumento das varizes, que surgem a partir de uma deficiência da circulação. 


Fonte: Internet

A principal causa das varizes é o comprometimento da parede venosa e o aumento da pressão dentro do vaso ou alteração na função das válvulas. Outros fatores também colaboram para o aparecimento do problema, como raça, idade, sexo, predisposição hereditária, obesidade, hábitos alimentares, hábitos posturais, gravidez, uso de anticoncepcionais, traumatismo e tabagismo.




Os principais sintomas são :

  • dores semelhantes a uma queimação; 
  • cansaço; 
  • sensação de pernas pesadas; 
  • edemas ao redor do tornozelo. 
Nas mulheres as dores podem ser mais intensas nos períodos próximos ou durante a menstruação e na gravidez.


E quanto à velha historia de que depilar dá varizes: "Não existe nenhuma relação que possa afirmar que a depilação, o uso de saltos altos, subir escadas, carregar peso, musculação e ginástica levem as varizes. Pelo contrário, estas atividades são recomendadas para a prevenção, desde que feitas de forma correta e sem exageros.

O mais importante é evitar o sobrepeso adotando uma dieta rica em fibras, fazer exercícios físicos regularmente (ex: Pilates, caminhada, hidroginástica, bicicleta), não fumar, usar meias elásticas de média compressão durante a gravidez, evitar anticoncepcionais e descansar com as pernas elevadas.


Fonte: http://terapiasnaturaisesaude.blogspot.com.br
          http://www.blogfiladelfia.com