quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Saiba identificar um bom professor de Pilates

Com a popularização do método Pilates, proliferaram-se cursos de formação e com isso aumentou-se a oferta de professores/instrutores especializados em Pilates, porém nem sempre bons para administrar as aulas com qualidade. O Resultado disso pode ser desastroso, prejudicando a saúde de muitas pessoas.

Fonte: google images

O pré-requisito básico para trabalhar com o método é ser graduado em Fisioterapia ou em Educação Física e cada um desses profissionais irá utilizá-lo de acordo com a sua formação. 

Mas, só a formação acadêmica não basta, é necessário fazer o curso específico do método. Já existem vários cursos pelo Brasil que deixam o profissional apto a trabalhar, mas não garantem a qualidade das aulas.


Claro que se o professor for graduado em uma boa universidade e tiver feito o curso, seja de especialização ou de extensão, em uma instituição conceituada, as chances dele ser um bom professor aumentam em relação aquele que não teve uma boa formação, portanto informar-se sobre a formação do profissional é o primeiro passo.

Contudo, apenas uma boa formação pode não bastar, então preste atenção nas dicas a seguir. 

Agende uma aula experimental e preste atenção nos seguintes aspectos:

  1. Antes de iniciar o profissional deverá conversar com você explicando sobre o Pilates e procurando saber sobre eventuais problemas de saúde e suas limitações.
  2. O instrutor deverá explicar o princípio e objetivo do método, além de ensinar a respirar e contrair o Core (centro de força).
  3. Você terá que conhecer e experimentar todos os equipamentos, afinal trata-se de uma aula experimental, porém o instrutor deverá deixar claro que nem sempre é usado todos  os aparelhos na mesma aula.
  4. A aula deve ser iniciada com aquecimento, parte principal e relaxamento.
  5. O instrutor deverá explicar para que serve cada um dos exercício realizados.
  6. Pergunte sempre que tiver dúvidas e se estiver inseguro diga que prefere não fazer. Cabe ao profissional fazer as devidas adaptações.
  7. Antes de qualquer exercício o instrutor deve solicitar que organize seu corpo, dando dicas verbais e táteis sobre o seu posicionamento.
  8. Você deverá receber feedback sobre a execução dos movimentos durante a aula estejam eles corretos ou não, incluindo a respiração.
  9. O Pilates visa pela qualidade e não pela quantidade. Os exercícios deverão ser realizados com o objetivo de chegar à perfeição na sua execução, portanto é preferível fazer duas repetições bem feitas, do que 10 mal feitas.
  10. Pilates não se trabalha em séries.
  11. O instrutor deverá respeitar a sua condição física, adequando os exercícios às suas necessidades e sua capacidade de executá-los.
Você fez a aula experimental e aprovou o profissional, então fique atento pois tudo o que foi citado acima deverá ser mantido em todas as aulas.

  • Antes de iniciar as aulas o instrutor deverá fazer uma avaliação física.
  • Aos poucos deve haver evolução no nível de dificuldade dos exercícios.
  • A seleção dos movimentos deve contemplar seus objetivos e suas necessidades.
  • É sempre importante fazer um registro das aulas.


Fonte: http://centraldopilates.blogspot.com.br