sexta-feira, 23 de outubro de 2015

PILATES NAS LESÕES DO OMBRO


fonte: google images
O ombro é composto por uma série de articulações que juntamente com os músculos e seus tendões permitem uma mobilidade muito ampla do braço. Essa mobilidade pode levar a problemas de instabilidade ou impacto dos tecidos moles resultando em dor. Ela pode aparecer somente em alguns movimentos ou até mesmo em repouso. Pode ser esporádica, de curta duração, ou pode ser contínua, necessitando de um diagnóstico e um tratamento médico. Subescapular, Supra-espinhoso, Infra-espinhoso e Redondo menor é o grupo de músculos do MANGUITO ROTADOR (esses músculos cobrem a cabeça do úmero).



Existem diversas formas de lesionar o ombro:

• Lesão sem ter havido nada, acordar com a dor sem saber de onde veio;
• Degeneração (artrose);
• Movimentos repetitivos (tendinite e bursites);
• Impacto por quedas e acidentes (fratura, luxação, distensão muscular...).

É importante entender que, se esta lesão se originou por algum movimento inadequado ou um movimento que não é lembrado (Normalmente isso acontece devido a uma mecânica de movimento errada ao elevar o braço). A causa terá que ser encontrada para ser corrigida automaticamente e não apenas ser um paliativo para essa lesão.

Após o trauma é normal que o corpo crie novos movimentos compensatórios para proteger e compensar o trabalho do músculo lesionado, agravando mais ainda. Ao evitar o movimento, o ombro se enfraquece e a dor aumenta, porém ao tentar mexer, o ombro reclama, virando um ciclo vicioso. Essa tensão muscular pode levar a tendinites e outras inflamações.

No dia a dia, acostumamos colocar todo o estresse e as tensões, e sem perceber vamos comprimindo os ombros e trazendo eles cada vez mais perto das orelhas, mas se prestar atenção vai sentir que ao dirigir os ombros estão tensos, ao atender ao telefone, para escrever, ao cozinhar, ao ficar por horas na frente do computador é esse acúmulo de tensões que irá causar as dores no pescoço e nas costas. O problema maior é que, esse novo hábito de manter os ombros elevados vai influenciar nos movimentos dos braços.

Todo o movimento do braço está diretamente conectado à escápula. Esse deslocamento da escápula é muito importante e deve ser feito sem muito esforço, para não causar tensões no trapézio, músculo sobre os ombros perto do pescoço.

Quando o ombro está elevado, o acrômio vai deslizar à frente podendo pinçar o nervo ou o tendão que passa por baixo dela indo em direção ao braço. Esse pinçamento ou compressão poderá trazer lesões caso o braço seja elevado acima da altura dos ombros com uma sobrecarga, isto é, se você estiver carregando algo pessado; podendo até ocasionar ruptura parcial ou total do tendão.

O que pode ser feito?

• Movimentos de soltura em forma de pêndulo (Deve ser feito em variadas direções, podendo inclinar o corpo à frente para ir soltando e aumentando a mobilidade).

Movimento de pêndulo (1):Incline-se para a frente até atingir um ângulo de 45 graus e mova o braço como pêndulo numa extensão de 90 graus.
Movimento de pêndulo (2):Incline-se para a frente até atingir um ângulo de 90 graus e mova o braço de um lado para o outro de acordo com a figura.

• Fortalecer e aumentar a amplitude de movimento
• Trabalhar a rotação do ombro (Na posição deitada, Coloque os braços um pouco afastados do tronco. Inspire e sinta que o braço inteiro irá rodar para fora como se fosse um pino ao virar a palma da mão para cima, você vai sentir o peitoral abrindo e se alongando. Na expiração o braço volta sem forçar,sempre com a menor contração possível e o mínimo de dor.

Atenção:

• SEMPRE QUE OS BRAÇOS SE MOVIMENTAM E SE ELEVAM ACIMA DA ALTURA DOS OMBROS, OS MESMOS DEVEM ESTAR LONGE DAS ORELHAS, COM AS ESCÁPULAS DESLIZANDO NAS COSTAS EM DIREÇÃO AOS PÉS.
• É IMPORTANTE O ACOMPANHAMENTO DE UM PROFISSIONAL NOS EXERCÍCIOS.

No Pilates a execução de movimentos fluidos e suaves que favorecem o deslizamento das estruturas da articulação seja utilizando as molas, as bolas ou mesmo sem nenhum material de auxílio, mas todos bem orientados e coordenados proporcionam melhor ativação das estruturas e músculos mais fortes, favorecendo a estabilização gradativa e menor recidiva das lesões. O Pilates favorecerá a realização das ações diárias com maior consciência do mecanismo de movimento, criando uma proteção das estruturas contra compensações futuras.


Fonte: http://studiopilatesteresina.blogspot.com.br/2010/01/o-pilates-como-auxilio-nas-lesoes-no.html


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Como Aproveitar ao Máximo sua Aula de Pilates !


O alemão Joseph Pilates era praticante de diversas atividades físicas e estudioso do corpo humano, um autodidata perfeccionista que criou um método onde o objetivo era ensinar as pessoas a se moverem com qualidade dentro e fora dos estúdios.

fonte: google images
Um dos discípulos diretos do casal Joseph e Clara Pilates , Jay Grimes uma vez disse: "Chega um ponto em que você se torna Pilates e Pilates se torna você. O grande feito de Joseph não era ter pessoas treinando na academia durante horas todos os dias. Ele queria treinar seu corpo de modo que cada movimento seu seja um exercício construtivo. Quando todo o seu corpo está envolvido e funcionando corretamente, mesmo que você esteja apenas se levantando, andando pela sala ou sentando-se em uma cadeira, estará fazendo um exercício". Esse era o objetivo do criador do método, fazer todos se moverem com facilidade, segurança e habilidade em suas atividades diárias, sejam elas quais forem.
Por isso, o método é cheio de regras e o instrutor irá repeti-las inúmeras vezes, pois isso é Pilates

A começar pela respiração, talvez a parte mais importante e difícil de aprender e controlar. Se a gente parar para pensar, não deveria ser, pois como disse Joseph “respirar é o primeiro e último ato da vida”. Fazemos isso o tempo inteiro desde sempre, então não conseguimos entender quando um aluno interrompe a aula para perguntar se vai ficar somente respirando! Não, não vai, existem muito mais coisas pela frente, mas antes, durante e até depois de todas as outras coisas, vai aprender a respirar direitinho como o método exige porque sem isso não é Pilates.

Inspirar e expirar não é apenas colocar ar para dentro e para fora dos pulmões, mas abastecer seu corpo de energia, levar combustível para suas células e ainda é utilizar músculos fundamentais para manter o corpo firme. Pilates usou este ato para organizar todo o corpo. Na expiração completa, por exemplo, usamos diversos músculos abdominais, músculos estes que se localizam no centro do corpo e são importantes para nos proteger e equilibrar. Então sim, vamos respirar bastante e com qualidade, ativando o abdômen para deixá-lo cada vez mais forte. No entanto, isto será feito junto aos exercícios, enquanto o aluno fortalece braços e pernas, abdômen e os músculos das costas. Por isso tenha paciência, deixe a ansiedade do lado de fora do estúdio e concentre-se para fazer o que seu instrutor pede.

fonte: google images
                                   
Por falar em concentração, Pilates dizia que seu método começava com o controle da mente sobre o corpo e orientava seus alunos a manter suas mentes concentradas no propósito do exercício, pois os benefícios da técnica dependiam do aluno realizar os exercícios exatamente como as regras eram dadas, concentre-se em seu corpo durante o exercício e lembre-se que se seu instrutor repete aquelas mesmas orientações todo o tempo é porque elas são realmente importantes para que o alinhamento do corpo seja mantido e para que os músculos certos sejam plenamente ativados.

Tenha calma, o método é um aprendizado e vai ficando cada vez mais complexo.
Nem todo mundo fará exercícios avançados, mas isto não é uma derrota, pois mesmo que sejam os mesmos, a forma como o corpo os entende é diferente. Qualquer que seja o exercício de Pilates, se bem executado, é um exercício completo e excelente, portanto, não olhe o colega do lado, não queira fazer o que ele faz, se seu instrutor não passou determinado movimento para você ele deve ter razões para isso e a principal, provavelmente, é proteger seu corpo. O tempo perdido espiando será muito melhor gasto se utilizado para fazer você dominar seu corpo seja qual for o movimento que estiver fazendo.


Então aqui ficam as regras:
  • Não reclame da respiração, ao invés disso, concentre-se ao máximo nela.
  • Não gaste seu tempo em longas conversas ou em qualquer outra coisa que não seja em seu corpo.
  • Deixe a ansiedade de lado. Fazer exercícios rapidamente não fará sua aula mais difícil, pelo contrário, quando o aluno acelerá os erros e compensações acontecem e eles nada mais são do que a forma do corpo de ir pelo caminho mais fácil. Já uma aula feita de forma mais lenta e controlada é 100% aproveitada e os resultados aparecem logo.
  • Preste atenção em todas as orientações pois elas são fundamentais. Às vezes, o aluno para de ouvir as dicas dadas, principalmente quando a turma e o instrutor são antigos e ele já está acostumado com a linguagem, isso é um grande erro. Escute e tente passar para seu corpo todos os detalhes que são pedidos, com certeza a aula vai ficar mais desafiadora e interessante.
  • Execute os movimentos com atenção e cuidado.
fonte: google images

Quando entrar em um estúdio de Pilates, esteja aberto a fazer Pilates, então, como Joseph dizia “siga as regras exatamente como elas são dadas” porque tudo faz diferença no resultado.

Proponha-se a fazer a atividade física que você escolheu e não tente mudá-la porque estará jogando seu dinheiro fora. Se o método não te agradar do jeito que é, procure outra atividade física, afinal cada um é de um jeito e uns gostam de Pilates, outros de corrida, musculação, Cross Fit, yoga…
Todo exercício é válido portanto que seja feito com qualidade e regularidade. ;)







Fonte:http://www.espacofluir.com/#!Como-Aproveitar-ao-Máximo-sua-Aula-de-Pilates/c1aod/559c25fd0cf2ae09c19b71b7

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Como está a sua energia?

Por mais que existam pessoas desequilibradas e difíceis nós é que somos responsáveis pelas nossas energias e cabe a cada um de nós preservá-la e administrá-la da melhor forma possível.

Como está a sua energia?

fonte: google images

Todas as vezes que escrevo sobre energias, mais precisamente sobre o relacionamento energético entre os seres humanos, recebo dezenas de mensagens de leitores reclamando e pedindo soluções para o roubo de energia. Essas pessoas sempre apontam colegas de trabalho, familiares, amigos e determinados locais como os responsáveis pela sua debilidade energética. Não posso negar que realmente existem pessoas complicadas e ambientes não muito agradáveis. Hoje chamaremos a atenção de vocês para alguns aspectos importantes. Por mais que existam pessoas desequilibradas e difíceis nós é que somos responsáveis pelas nossas energias e cabe a cada um de nós preservá-la e administrá-la da melhor forma possível. Existem “receitinhas”, orações, banhos, cristais e um arsenal de proteção, que são válidos e eficientes até um certo ponto. Porque aquele que não assume a responsabilidade por suas venturas e desventuras sempre estará vulnerável às energias ao seu redor. Sabe por que o outro rouba a sua energia? Porque você deixa a porta aberta!!! E depois ainda diz que a culpa é do outro… Para ajudar a refletir, fiz uma listagem de doze atitudes (e olhe que a lista é imensa!) que gastam uma tremenda energia vital. Uma vez desvitalizado e sem proteção fica fácil para qualquer um chegar perto e perturbar seu equilíbrio. Use esta listagem também para pensar porque a prosperidade às vezes passa longe de você. A energia que seria usada para atrair o bem, a felicidade, o amor, o dinheiro acaba sendo gasta de forma inadequada. Confira a listagem e veja o que precisa ser modificado em sua vida! 
1. A FALTA DE CUIDADO COM O CORPO E HÁBITOS Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer sempre são colocados em segundo plano. A correria da vida diária e a competitividade das grandes cidades faz com que acabemos negligenciando aspectos básicos para a manutenção de nossa saúde energética. Quando a saúde física está comprometida, a aura se ressente, ficando menor e menos brilhante, comprometendo nosso sistema de defesa energético. Os exercícios físicos são sempre úteis por nos ajudar a movimentar e eliminar as energias estáticas. As pessoas que são dependentes químicos apresentam verdadeiros rombos na aura e isso as predispõe a toda sorte de assédios espirituais e vampirismo energético. 
2. PENSAMENTOS OBSESSIVOS. Pensar gasta energia e todos nós sabemos disso: ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho corporal. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos e esse é, aliás, um mal do homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando muita energia. Pensamos tanto que não sobra vitalidade para tomar uma atitude concreta e, o pior, alimentamos ainda mais o conflito. Devemos não só estar atentos ao volume de pensamentos, mas também à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados nos recarregam, ao passo que a negatividade e pessimismo consomem energia e atraem mais negatividade para nossas vidas. Observe: pensando você conseguiu resolver o problema? Quase sempre a resposta é ‘não’. Então, mude de atitude. Relaxe, use uma música suave e entregue o problema para o universo resolver. Mesmo que isso aconteça apenas por alguns poucos minutos. Durante esse tempo sua mente estará descansando. Quando a mente silencia, permite que sua intuição, seu anjo da guarda, Deus, Eu Superior ou o que você acreditar, converse com você e lhe traga inspiração e criatividade e isso se reverte em mais energia. Os meus alunos têm semanalmente 2 horas para fazer isso, o resultado é muito bom. Que privilégio, não?!!!! 
3. SENTIMENTOS TÓXICOS. Se você sofre um choque emocional ou sente uma raiva intensa, pode estar certo, até o final do dia estará simplesmente esgotado energeticamente. Juntamente com a raiva você queimou altas doses de sua energia pessoal. Imagine agora um ser que nutre ressentimentos e mágoas, às vezes durante anos seguidos. De onde você acha que vem o combustível para alimentar esses sentimentos tão densos? Não é à toa que muitas dessas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas, afinal, a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade está sendo gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo gasta energia, culpa também, já a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos e elevados, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima e principalmente a alegria e bom humor recarregam nossa energia e nos dão força para empreender projetos e superar obstáculos.
4. FUGIR DO PRESENTE. Onde eu coloco a minha atenção aí coloco a minha energia. É tendência freqüente do ser humano achar que no passado as coisas eram mais fáceis: ‘bons tempos aqueles!”. Tanto os saudosistas, que se apegam aos prazeres do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas e desatinos de tempos atrás, estão colocando suas energias no passado. Por outro lado temos os sonhadores ou aqueles que vivem numa eterna expectativa do futuro, depositando nele sua felicidade e realização. Viver no tempo passado ou futuro faz com que sobre pouca ou nenhuma energia no tempo presente. E é somente no presente que você constrói sua vida. O passado e o futuro dependem unicamente do seu momento presente. Aquele que vive sempre no tempo errado não tem em mãos uma dose de energia suficiente para se proteger das energias e locais densos. 
5. FALTA DE PERDÃO. Perdoar significa soltar. Soltar ressentimentos, mágoas, culpas. Soltar o que aconteceu e olhar somente para a frente e viver o presente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos e gastamos menos energia alimentando feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres e abertos para a felicidade. Aquele que não sabe perdoar os outros e a si mesmo, fica ‘energeticamente obeso’, carregando fardos do passado e isso requer muita energia. 
6. MENTIRA PESSOAL. Todos nós mentimos ao longo de nossas vidas e sabemos quanta energia é gasta posteriormente para sustentar a mentira e, quase sempre, acabamos sendo pegos. Imagine agora quando ‘você é a mentira’. Quanta energia gastamos para sustentar caras, poses, desempenhos que não são autênticos!!! Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos. A mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, a mártir, o intelectual, a lista é enorme. Quando somos nós mesmos a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço. O mesmo não é válido quando queremos desempenhar um papel que não é o nosso. 
7. VIVER A VIDA DO OUTRO. Ninguém vive só, através dos relacionamentos interpessoais evoluímos e nos realizamos. Mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio que traz senso de limite e respeito por si e pelo espaço do outro nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, será a frustração. Quando interferimos na vida alheia, nos misturamos com o carma negativo do outro e trazemos isso para nossa vida. 8. BAGUNÇA E PROJETOS INACABADOS. A bagunça afeta de forma muito negativa as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque bem legal para os períodos confusos é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa, os documentos e tudo o que mereça uma boa faxina. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem a mente e o coração. Pode não resolver o problema, mas nos ajuda bastante e traz um grande alívio. Outra forma bem eficiente de perder energia é não terminar tarefas. Todas as vezes, por exemplo, que você vê aquela blusa de tricô que não concluiu, ela lhe diz inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou! E isso gasta uma energia tremenda! Ou você termina definitivamente a blusa ou livre-se dela e assuma que não vai terminá-la. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão tempo e energia. E lembre-se, bagunça e sujeira são ótimas moradas para energias densas e desarmoniosas. 
9. AFASTAMENTO DA NATUREZA. A Natureza é nossa maior fonte de alimento energético e, além de nutrir, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energias. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais. Procure, sempre que possível, estar junto à Natureza. Você também pode trazê-la para dentro de sua casa ou local de trabalho. Além de um ótimo recurso decorativo, as plantas humanizam os ambientes, nos acalmam e absorvem as energias negativas e poluentes. 
10. PREGUIÇA, NEGLIGÊNCIA. E falta de objetivos na vida. Esse ítem não requer muitas explicações: negligência com a sua vida denota também negligência com seus dons e potenciais e, principalmente, com sua energia vital. Aquilo do que você não cuida, alguém vem e leva embora. O resultado: mais preguiça, moleza, sono…. 
11. FANATISMO. Passa um ventinho: “Ai meu Deus!!!! Tem energia ruim aqui!!!” Alguém olha para você: “Oh! Céus, ela está morrendo de inveja de mim!!!” Enfim, tudo é espírito ruim, tudo é energia do mal, tudo é coisa do outro mundo. Essas pessoas fanáticas e sugestionáveis também adoram seguir “mestres e gurus” e depositar neles a responsabilidade por seu destino e felicidade. É fácil, fácil manipular gente assim e não só em termos de energia, mas também em relação à conta bancária! 
12. FALTA DE ACEITAÇÃO. Pessoas revoltadas com a vida e consigo mesmas, que não aceitam suas vidas como elas são, que rejeitam e fazem pouco caso daquilo que têm. Esses indivíduos vivem em constante conflito e fora do seu eixo. E, por não valorizarem e não tomarem posse dos seus tesouros – porque todos nós temos dádivas – são facilmente ‘roubáveis’. O importante é aprender a aceitar e agradecer tudo o que temos (não confundir com acomodação). Quando você agradece e aceita fica em estado vibracional tão positivo que a intuição e a criatividade são despertadas. Surgem, então, as possibilidades de transformar a vida para melhor! Vera Caballero é Professora de Yoga, numeróloga, terapeuta floral, reiki master, massoterapeuta, ministra cursos e palestras sobre Bioenergias. Articule sua mente Observe a respiração.


Fonte: http://corpoinconsciencia.com/2013/08/03/12-maneiras-de-jogar-energia-fora/

terça-feira, 7 de abril de 2015

7 de Abril - Dia Mundial da Saúde

Venha ficar saudável de uma forma diferente!

Pratique Pilates!

Fonte: Escola Brasileira de Pilates

quarta-feira, 11 de março de 2015

Seja legal com seu instrutor!

Gostei muito dessa matéria da Revista Pilates e estou fazendo um repost, seguindo essas dicas abaixo a sua convivência com o instrutor(a) ficará cada dia melhor.
fonte: google images
O Pilates é muito bom e traz diversos benefícios, não é verdade? Mas você já parou para pensar no que acontece durante as aulas? Existem algumas situações que ocorrem no dia a dia dos estúdios de Pilates que podem deixar seu instrutor chateado. Listamos algumas atitudes para ajudar você a refletir se está sendo legal com ele ou não, vamos lá:
Os exercícios de Pilates têm características muito peculiares. A dificuldade dos exercícios varia de pessoa para pessoa. Um instrutor consciente não irá pedir o impossível ao aluno. Se você é aluno, concentre-se e tente realizar algumas repetições antes de desistir e dizer que não consegue, ok?
Alimentação é a base de tudo. Se uma pessoa não se alimenta bem, os resultados vão demorar, ou mesmo nem irão aparecer. Não espere milagres!
Estruturar uma aula de Pilates não é fácil. E aquele aluno que sempre chega 15 minutos atrasado atrapalha todo o planejamento da aula e acaba perdendo os alongamentos e exercícios de aquecimento, dificultando ainda mais o progresso das aulas.
Clientes que quebram contratos sem um real motivo são um problema. Quando um aluno está doente ou precisa mudar de cidade a trabalho, fica impossível ele continuar com as aulas de Pilates, é claro. Mas, na maioria das vezes, se trata apenas de preguiça. Pense bem antes de começar as aulas.
As variações de exercícios são praticamente infinitas no Pilates. Como aluno, você precisa distinguir o que é bom e o que é apenas moda passageira. O instrutor não vai passar exercícios que não façam bem para você, não insista.
Virar atleta em uma semana sem nunca ter feito exercícios antes? Isso não existe. Trabalhar o corpo exige dedicação e muita disciplina. Esculpir o corpo leva tempo!
Como qualquer outro profissional, um instrutor precisa manter o estúdio e pagar as contas. Alguns alunos se esquecem disso e atrasam várias semanas o pagamento das aulas. Tenha bom senso!
Você está fazendo alguma dessas coisas? Ainda dá tempo de mudar! Seja legal com seu instrutor e assim, as aulas serão muito melhores! Sinta a diferença!


Fonte: http://revistapilates.com.br/2015/02/23/seja-legal-com/