sexta-feira, 23 de outubro de 2015

PILATES NAS LESÕES DO OMBRO


fonte: google images
O ombro é composto por uma série de articulações que juntamente com os músculos e seus tendões permitem uma mobilidade muito ampla do braço. Essa mobilidade pode levar a problemas de instabilidade ou impacto dos tecidos moles resultando em dor. Ela pode aparecer somente em alguns movimentos ou até mesmo em repouso. Pode ser esporádica, de curta duração, ou pode ser contínua, necessitando de um diagnóstico e um tratamento médico. Subescapular, Supra-espinhoso, Infra-espinhoso e Redondo menor é o grupo de músculos do MANGUITO ROTADOR (esses músculos cobrem a cabeça do úmero).



Existem diversas formas de lesionar o ombro:

• Lesão sem ter havido nada, acordar com a dor sem saber de onde veio;
• Degeneração (artrose);
• Movimentos repetitivos (tendinite e bursites);
• Impacto por quedas e acidentes (fratura, luxação, distensão muscular...).

É importante entender que, se esta lesão se originou por algum movimento inadequado ou um movimento que não é lembrado (Normalmente isso acontece devido a uma mecânica de movimento errada ao elevar o braço). A causa terá que ser encontrada para ser corrigida automaticamente e não apenas ser um paliativo para essa lesão.

Após o trauma é normal que o corpo crie novos movimentos compensatórios para proteger e compensar o trabalho do músculo lesionado, agravando mais ainda. Ao evitar o movimento, o ombro se enfraquece e a dor aumenta, porém ao tentar mexer, o ombro reclama, virando um ciclo vicioso. Essa tensão muscular pode levar a tendinites e outras inflamações.

No dia a dia, acostumamos colocar todo o estresse e as tensões, e sem perceber vamos comprimindo os ombros e trazendo eles cada vez mais perto das orelhas, mas se prestar atenção vai sentir que ao dirigir os ombros estão tensos, ao atender ao telefone, para escrever, ao cozinhar, ao ficar por horas na frente do computador é esse acúmulo de tensões que irá causar as dores no pescoço e nas costas. O problema maior é que, esse novo hábito de manter os ombros elevados vai influenciar nos movimentos dos braços.

Todo o movimento do braço está diretamente conectado à escápula. Esse deslocamento da escápula é muito importante e deve ser feito sem muito esforço, para não causar tensões no trapézio, músculo sobre os ombros perto do pescoço.

Quando o ombro está elevado, o acrômio vai deslizar à frente podendo pinçar o nervo ou o tendão que passa por baixo dela indo em direção ao braço. Esse pinçamento ou compressão poderá trazer lesões caso o braço seja elevado acima da altura dos ombros com uma sobrecarga, isto é, se você estiver carregando algo pessado; podendo até ocasionar ruptura parcial ou total do tendão.

O que pode ser feito?

• Movimentos de soltura em forma de pêndulo (Deve ser feito em variadas direções, podendo inclinar o corpo à frente para ir soltando e aumentando a mobilidade).

Movimento de pêndulo (1):Incline-se para a frente até atingir um ângulo de 45 graus e mova o braço como pêndulo numa extensão de 90 graus.
Movimento de pêndulo (2):Incline-se para a frente até atingir um ângulo de 90 graus e mova o braço de um lado para o outro de acordo com a figura.

• Fortalecer e aumentar a amplitude de movimento
• Trabalhar a rotação do ombro (Na posição deitada, Coloque os braços um pouco afastados do tronco. Inspire e sinta que o braço inteiro irá rodar para fora como se fosse um pino ao virar a palma da mão para cima, você vai sentir o peitoral abrindo e se alongando. Na expiração o braço volta sem forçar,sempre com a menor contração possível e o mínimo de dor.

Atenção:

• SEMPRE QUE OS BRAÇOS SE MOVIMENTAM E SE ELEVAM ACIMA DA ALTURA DOS OMBROS, OS MESMOS DEVEM ESTAR LONGE DAS ORELHAS, COM AS ESCÁPULAS DESLIZANDO NAS COSTAS EM DIREÇÃO AOS PÉS.
• É IMPORTANTE O ACOMPANHAMENTO DE UM PROFISSIONAL NOS EXERCÍCIOS.

No Pilates a execução de movimentos fluidos e suaves que favorecem o deslizamento das estruturas da articulação seja utilizando as molas, as bolas ou mesmo sem nenhum material de auxílio, mas todos bem orientados e coordenados proporcionam melhor ativação das estruturas e músculos mais fortes, favorecendo a estabilização gradativa e menor recidiva das lesões. O Pilates favorecerá a realização das ações diárias com maior consciência do mecanismo de movimento, criando uma proteção das estruturas contra compensações futuras.


Fonte: http://studiopilatesteresina.blogspot.com.br/2010/01/o-pilates-como-auxilio-nas-lesoes-no.html


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Como Aproveitar ao Máximo sua Aula de Pilates !


O alemão Joseph Pilates era praticante de diversas atividades físicas e estudioso do corpo humano, um autodidata perfeccionista que criou um método onde o objetivo era ensinar as pessoas a se moverem com qualidade dentro e fora dos estúdios.

fonte: google images
Um dos discípulos diretos do casal Joseph e Clara Pilates , Jay Grimes uma vez disse: "Chega um ponto em que você se torna Pilates e Pilates se torna você. O grande feito de Joseph não era ter pessoas treinando na academia durante horas todos os dias. Ele queria treinar seu corpo de modo que cada movimento seu seja um exercício construtivo. Quando todo o seu corpo está envolvido e funcionando corretamente, mesmo que você esteja apenas se levantando, andando pela sala ou sentando-se em uma cadeira, estará fazendo um exercício". Esse era o objetivo do criador do método, fazer todos se moverem com facilidade, segurança e habilidade em suas atividades diárias, sejam elas quais forem.
Por isso, o método é cheio de regras e o instrutor irá repeti-las inúmeras vezes, pois isso é Pilates

A começar pela respiração, talvez a parte mais importante e difícil de aprender e controlar. Se a gente parar para pensar, não deveria ser, pois como disse Joseph “respirar é o primeiro e último ato da vida”. Fazemos isso o tempo inteiro desde sempre, então não conseguimos entender quando um aluno interrompe a aula para perguntar se vai ficar somente respirando! Não, não vai, existem muito mais coisas pela frente, mas antes, durante e até depois de todas as outras coisas, vai aprender a respirar direitinho como o método exige porque sem isso não é Pilates.

Inspirar e expirar não é apenas colocar ar para dentro e para fora dos pulmões, mas abastecer seu corpo de energia, levar combustível para suas células e ainda é utilizar músculos fundamentais para manter o corpo firme. Pilates usou este ato para organizar todo o corpo. Na expiração completa, por exemplo, usamos diversos músculos abdominais, músculos estes que se localizam no centro do corpo e são importantes para nos proteger e equilibrar. Então sim, vamos respirar bastante e com qualidade, ativando o abdômen para deixá-lo cada vez mais forte. No entanto, isto será feito junto aos exercícios, enquanto o aluno fortalece braços e pernas, abdômen e os músculos das costas. Por isso tenha paciência, deixe a ansiedade do lado de fora do estúdio e concentre-se para fazer o que seu instrutor pede.

fonte: google images
                                   
Por falar em concentração, Pilates dizia que seu método começava com o controle da mente sobre o corpo e orientava seus alunos a manter suas mentes concentradas no propósito do exercício, pois os benefícios da técnica dependiam do aluno realizar os exercícios exatamente como as regras eram dadas, concentre-se em seu corpo durante o exercício e lembre-se que se seu instrutor repete aquelas mesmas orientações todo o tempo é porque elas são realmente importantes para que o alinhamento do corpo seja mantido e para que os músculos certos sejam plenamente ativados.

Tenha calma, o método é um aprendizado e vai ficando cada vez mais complexo.
Nem todo mundo fará exercícios avançados, mas isto não é uma derrota, pois mesmo que sejam os mesmos, a forma como o corpo os entende é diferente. Qualquer que seja o exercício de Pilates, se bem executado, é um exercício completo e excelente, portanto, não olhe o colega do lado, não queira fazer o que ele faz, se seu instrutor não passou determinado movimento para você ele deve ter razões para isso e a principal, provavelmente, é proteger seu corpo. O tempo perdido espiando será muito melhor gasto se utilizado para fazer você dominar seu corpo seja qual for o movimento que estiver fazendo.


Então aqui ficam as regras:
  • Não reclame da respiração, ao invés disso, concentre-se ao máximo nela.
  • Não gaste seu tempo em longas conversas ou em qualquer outra coisa que não seja em seu corpo.
  • Deixe a ansiedade de lado. Fazer exercícios rapidamente não fará sua aula mais difícil, pelo contrário, quando o aluno acelerá os erros e compensações acontecem e eles nada mais são do que a forma do corpo de ir pelo caminho mais fácil. Já uma aula feita de forma mais lenta e controlada é 100% aproveitada e os resultados aparecem logo.
  • Preste atenção em todas as orientações pois elas são fundamentais. Às vezes, o aluno para de ouvir as dicas dadas, principalmente quando a turma e o instrutor são antigos e ele já está acostumado com a linguagem, isso é um grande erro. Escute e tente passar para seu corpo todos os detalhes que são pedidos, com certeza a aula vai ficar mais desafiadora e interessante.
  • Execute os movimentos com atenção e cuidado.
fonte: google images

Quando entrar em um estúdio de Pilates, esteja aberto a fazer Pilates, então, como Joseph dizia “siga as regras exatamente como elas são dadas” porque tudo faz diferença no resultado.

Proponha-se a fazer a atividade física que você escolheu e não tente mudá-la porque estará jogando seu dinheiro fora. Se o método não te agradar do jeito que é, procure outra atividade física, afinal cada um é de um jeito e uns gostam de Pilates, outros de corrida, musculação, Cross Fit, yoga…
Todo exercício é válido portanto que seja feito com qualidade e regularidade. ;)







Fonte:http://www.espacofluir.com/#!Como-Aproveitar-ao-Máximo-sua-Aula-de-Pilates/c1aod/559c25fd0cf2ae09c19b71b7